Pular para o conte√ļdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2011
Ent√£o diga que n√£o vai sair da minha vida.
"Verbos transformados em substantivos por causa da evolução dos atos. A essência transformada em dureza pra durar mais e eu só querendo, sempre, ir embora logo. Ar, er, ir. Ser no infinitivo, com a brevidade de uma raiz, com a profundidade de um instante. Tirar a coleira que tanta dor me dá no pescoço.."

Tati Bernardi.
Me dei, me dei... mudei. E voc√™, o qu√™? Fiz tudo, te dei o meu mundo. E voc√™ o qu√™? Joguei, lutei, arrisquei, amei!!!! Gostei, um amor maior: imposs√≠vel. E voc√™ o qu√™? Ultrapassei meu √≠ntimo. Fechei meus olhos, os olhos da alma. Decidi ignorar meus padr√Ķes. Ocultei minhas raivas, algumas vezes n√£o deu, disfarcei meus ci√ļmes, amaciei minhas m√°goas. Sua voz me tranq√ľilizava. Fiz como pude e como n√£o pude. Do seu jeito fui levando, algumas vezes amor pr√≥prio me faltou, mas eu s√≥ queria seu amor. Por in√ļmeras vezes te amava mais do que o tudo... E pergunto: E voc√™? O qu√™? Armei sua lona, fiz seu circo, pintei seu mundo. Fiz de voc√™ meu primeiro. Usei suas cores, anulei as minhas. Aceitei suas verdades intactas, anulei as minhas. E voc√™ amor? O qu√™? O qu√™ voc√™ fez?

Despedacei meu ego, levantei nossa bandeira. Me julguei ego√≠sta, fui contra a seu favor. Chorei, chorei, chorei at√© faltar vazio em mim. Fui no fundo, no profundo do meu √Ęmago. Pra merecer teus carinhos, teu sorri…
"Quem gosta aguenta suas reclama√ß√Ķes, sua c√≥lica infernal, suas manhas e manias."
(Clarissa Corrêa)

Vício

As pessoas n√£o tem medo de dizer a verdade, elas tem medo de serem julgadas. Por isso mentem. 
Sem nada no cora√ß√£o, passo os dias aqui pensando em como seria a minha vida se algu√©m pedisse pra entrar, se algu√©m abrisse m√£o e me chamasse de sua, me fizesse declara√ß√Ķes de amor, sentisse ci√ļmes e terminasse as discuss√Ķes com um beijo. To cansada de ouvir que o amor s√≥ machuca. To cansada de sentir medo de amar demais, de me entregar demais, a vida n√£o foi feita pra isso? cora√ß√Ķes entregues sem medo, palavras ditas sem arrependimento, beijos desejados, roubados, abra√ßos apertados, m√£os dadas, sorrisos compartilhados. Chega de ter medo do amor, chega de ter medo de amar, nada seria t√£o bom se n√£o pudesse ser feito com quem que voc√™ quer que seja feito, nada seria t√£o bonito se n√£o pudesse ser a dois e nada seria t√£o perfeito do que ter algu√©m pra dizer o quanto te ama e voc√™ sem medo, dizer o quanto o ama tamb√©m. Chega de dizer o quanto voc√™ √© forte, o quanto voc√™ n√£o se importa, chega de esconder o quanto voc√™ est√° precisando de carinho, n√£o deixe o que √© bonito passa…
Suja, trapaceira, c√©tica, c√≠nica, ordin√°ria, sem-vergonha e sem cora√ß√£o. N√£o √© hora de ser bonzinha. S√£o tempos de guerra, meu caro.
Amor a primeira à vista. Que o desamor vem a prazo.
 Tati Bernardi.
Como de costume, repito e repito: Bem, paciência querida, ainda não será desta vez!

caio fernando abreu
Ent√£o, √© melhor fazer como os velhos √≠ndios iaquis: usar a morte como conselheira. Perguntar sempre: “J√° que vou morrer, o que devo fazer agora?.

Paulo Coelho.
E o que você faz com os seus sentimentos, as suas fantasias, a sua necessidade vital e atávica e instintiva de amar ?

caio fernando abreu
Não sei fingir. Abraço minhas vontades, mesmo que a minha cara fique roxa de tanto apanhar. Cumpro minhas promessas, mesmo que me doa. Não brinco com os outros para me distrair, tampouco dou uma de boa samaritana para depois me esconder atrás da moita. Isso não. Por isso, digo e repito:gosto de gente de verdade. Se você é assim, por favor, senta aqui e vamos conversar
Caio Fernando Abreu
Perdoar é lindo.Mas como eu não me importo com beleza,não perdoo mesmo! (E quero mais é que se foda!)
Certo, certo: ningu√©m tem obriga√ß√£o de satisfazer ao teu desejo, pela simples raz√£o de que voc√™ sup√Ķe que teu desejo seja absoluto.

Caio Fernando Abreu
Eu preciso aprender a ser menos. Menos dramática. Menos intensa. Menos exagerada. Alguém já desejou isso na vida: ser menos?

Fernanda Mello
Que nos deixem quietos, que quietude é armazenamento de força e sabedoria, daqui a pouco a gente volta, a gente sempre volta, anunciando o fim de mais uma dor - até que venha a próxima, normais que somos!"


Martha Medeiros
Arruma um namorado novo, gatinho sem problemas, que d√™ cama & carinho. √Č simples e gostoso. Por que n√£o? N√£o se puna. N√£o finja que-os-problemas-foram-superados-e-tudo-est√°-num-√≥timo-astral. Chama uma Ro-Ro, vira a mesa de vez e parte pra outra.Voc√™, como qualquer ser humano, precisa de amor — e como ser humano legal e especial√≠ssimo, merece amor de uma pessoa bonita.
caio fernando abreu
Cansei de quem gosta como se gostar fosse mais uma ferramenta de marketing. Gostar aos poucos, gostar analisando, gostar duas vezes por semana, gostar at√© as duas e dezoito. Cansei de gente que gosta como pensa que √© certo gostar. Gostar √© essa besta desenfreada mesmo. E n√£o tem pensar. E arrepia o corpo inteiro, mas voc√™ n√£o sabe se √© defesa para recuar ou atacar. Eu  gosto de voc√™ porque gostar n√£o faz sentido.
Tati Bernadi
Você enfim, opta por decidir somente pelo necessário. Pelo que realmente vai fazer alguma diferença em sua vida e desiste de tentar equilibrar-se, isso é para artista circense e você nem gosta tanto de circo. Melhor deixar assim.

Fernanda Mello
Quer me tratar bem? Amém! Se não quiser, vá com Deus, não me procure mais! Amor incondicional é muito bonito. Mas eu só tenho por mim, pela minha família e pelos meus cachorros. De resto, sou igual bicho. Me morde e eu te como.
Fernanda Mello
''Vem cá, deixa eu te perguntar. O sonho tem influência na vida da gente?
... ando sonhando com você todos os dias.''

Marcela Polis
H√° 2 esp√©cies de chatos: os chatos propriamente ditos e … os amigos, que s√£o os nossos chatos prediletos.(M√°rio Quintana)
O que vale a pena possuir, vale a pena esperar.
Caio Fernando Abreu
Autocrítica: Exercício imprescindível e corajoso de profunda reflexão sobre nossas próprias atitudes
Se você me ama, pensa bem. Talvez eu não mereça. - Kurt Cobain
Não sou bipolar, só mudo constantemente meu humor, meus sentimentos. Só sou inconstante, incontrolável, insaciável. Acho que a maioria das pessoas é assim, só que sabem ser um pouco menos intensa do que eu.
"E uma compuls√£o horr√≠vel de quebrar imediatamente qualquer rela√ß√£o bonita que mal comece a acontecer. Destruir antes que cres√ßa. Com requintes, com sofreguid√£o, com textos que me v√™m prontos e faces que se sobrep√Ķem √†s outras. Para que n√£o me firam, minto. E tomo a provid√™ncia cuidadosa de eu mesmo me ferir, sem prestar aten√ß√£o se estou ferindo o outro tamb√©m. N√£o queria fazer mal a voc√™. N√£o queria que voc√™ chorasse. N√£o queria cobrar absolutamente nada. Por que o Zen de repente escapa e se transforma em Sem? Sem que se consiga controlar".
"A solidão às vezes é tão nítida como uma companhia.Vou me adequando,vou me amoldando.Nem sempre é horrível.às vezes é até bem mansinha.Mas sinto tão estranhamente que o amor acabou.(...)Repito sempre:sossega,sossega - o amor não é para o teu bico."
"...Temo que seja outra vez aquela coisa piedosa, faminta, as pequenas-esperanças, mas quando desvio meu olho do teu, dentro de mim guardo sempre teu rosto e sei que por escolha impossível recuar para não ir até o fim e o fundo disso que nunca vivi antes e talvez tenha inventado apenas para me distrair nesses dias..."
"Não gosto quando a gente fica falando assim no que não foi, no que poderia ter sido. God! Não aos sábados, principalmente a noite. Não hoje, por favor, hoje não dá, eu tenho. Eu tenho uma sensação meio de amargura, de fracasso. Você me entende? Como se tivesse a obrigação de ter sido, ou tentado ser, outra pessoa."
"Parece-me agora, tanto tempo depois, que as partidas-dolorosas, as amargas separa√ß√Ķes, as perdas-irrepar√°veis costumam lavrar assim o rosto dos que ficam."
E sem entender, você então pára e pergunta alguma coisa assim: mas de quem foi o erro?
"A vida não é apagável, pensei. Nem volta atrás. Ainda não construíram a máquina do tempo. Ninguém virá em meu socorro. Faz tanto tempo que invento meus próprios dias. Preciso começar por algum ponto."
"Não sei como me defender dessa ternura que cresce escondido e, de repente, salta para fora de mim, querendo atingir todo mundo. Tão inesperada quanto a vontade de ferir, e com o mesmo ímpeto, a mesma densidade. Mas é mais frustrante. Sempre encontro a quem magoar com uma palavra ou um gesto. Mas nunca alguém que eu possa acariciar os cabelos, apertar a mão ou deitar a cabeça no ombro. Sempre o mesmo círculo vicioso: da solidão nasce a ternura, da ternura frustrada a agressão, e da agressividade torna a surgir a solidão. Todos os dias o ciclo se repete, às vezes com mais rapidez, outras mais lentamente. E eu me pergunto se viver não será essa espécie de ciranda de sentimentos que se sucedem e se sucedem e deixam sempre sede no fim."
"O que eu queria era alguém que me recolhesse como um menino desorientado numa noite de tempestade, me colocasse numa cama quente e fofa, me desse um chá de laranjeira e me contasse uma história. Uma história longa sobre um menino só e triste que achou, uma vez, durante uma noite de tempestade, alguém que cuidasse dele."
"Mas gosto, gosto das pessoas. Não sei me comunicar com elas, mas gosto de vê-las, de estar a seu lado, saber suas tristezas, suas esperas, suas vidas."
"N√£o tem import√Ęncia que voc√™ n√£o compreenda isso, porque estou acostumado com a incompreens√£o alheia, e com a minha pr√≥pria incompreens√£o, mais do que tudo."
Supere isso,e se não puder superar, supere o vício de falar a respeito.
Lutar em segredo, fechado no quarto, sem que ninguém saiba. Para os outros, mostrar só o melhor de si, a face mais luminosa.
Tem muita coisa que francamente, cá entre nós, não faço mesmo questão de saber.
Vamos acordar! Vamos acordar! Tem gente furando a fila e sendo feliz no nosso lugar.
"Meu Deus, afasta de mim os venenos diários de quem não acrescenta, só diminui."
‘Com o tempo passei a fazer listas dos teus defeitos que se tornavam mais longas a cada dia, elas foram um modo, in√ļtil, de eu me convencer que voc√™ n√£o valia o esfor√ßo. Mas l√° no fundo, trancado em uma dessas caixinhas que n√≥s fingimos que n√£o existem,  eu sabia que voc√™ valia muito mais do que s√≥ o esfor√ßo. E eu que nunca vi gra√ßa alguma nas pessoas, me peguei pensando de como seria bonito n√≥s dois andando pelo mundo mostrando todo dia para as pessoas que avulsos tamb√©m podem se encontram. E que se encontram.’ Linhas Torta
“Acredito que essa mo√ßa, no fundo, gosta dessas coisas: de se apaixonar, de se jogar num rio onde ela n√£o sabe se consegue nadar.” - Caio Fernando Abreu.