terça-feira, 5 de maio de 2015

Desde criança tive a tendência para criar em meu torno um mundo fictício, de me cercar de amigos e conhecidos que nunca existiram. Não sei, bem entendido, se realmente não existiram, ou se sou eu que não existo.
Fernando Pessoa

Você é linda!


Como se a gente tivesse 
metades que não 
combinam, 
três partes, destempestades,
três vezes ou vezes três, 
como se quase, existindo, 
só nos faltasse o talvez.

Paulo leminski
Um amigo não segura a barra, apenas. Segura a mão, a ausência, segura uma confissão, segura o tranco, o palavrão, segura o elevador. Duas dúzias de amigos assim ninguém tem. Se tiver um, amém.
Se a tristeza fosse física ela seria eu
Se a felicidade fosse física ela seria eu
Se a contradição fosse física ela seria eu.
Alberto Lima.
Quando aconteceu? Não sei. Quando foi que eu deixei de te amar? Quando a luz do poste não acendeu, quando a sorte não mais soube ganhar. Não foi ontem que eu disse não, mas quem vai dizer tchau? Onde aconteceu? Não sei. Onde foi que eu deixei de te amar? Dentro do quarto só estava eu dormindo antes de você chegar. Mas não foi ontem que eu disse não, mas quem vai dizer tchau? A gente não percebe o amor que se perde aos poucos sem virar carinho. Guardar lá dentro amor não impede que ele empedre mesmo crendo-se infinito. Tornar o amor real é expulsá-lo de você pra que ele possa ser de alguém. Somos se pudermos ser ainda, fomos donos do que hoje não há mais. Houve o que houve é o que escondem em vão os pensamentos que preferem calar. Se não, irá nos ferir um não, mas que não quer dizer tchau. A gente não percebe o amor que se perde aos poucos sem virar carinho. Guardar lá dentro amor não impede que ele empedre mesmo crendo-se infinito. Tornar o amor real é expulsá-lo de você pra que ele possa ser de alguém.
Nando Reis.
Minha mãe sempre diz: Não há dor que dure para sempre! Tudo é vário. Temporário. Efêmero. Nunca somos, sempre estamos! E apesar de saber de tudo isso. Por que algumas dores duram tanto?
Chico Buarque.
Eu disse que gosto disso, ela disse eu também; disse que gosta daquilo, ela disse eu também. Parece até que a gente se conhece há um tempo.
Marcelo D2
"A gente foge da solidão quando tem medo dos próprios pensamentos."
— Érico Veríssimo.
Estou cansado dessa mesmice do dia a dia, da hipocrisia que nossos semelhantes exalam a cada frase dita mal o dia tendo começado - sendo eu um deles. Por mim eu ficava em casa, deitado em minha cama com uma boa garrafa de algo qualquer para molhar o bico; só não fico porque há de chegar o dia em que a preguiça me roubará os sonhos, a força para realizá-los. Tenho sonhos para concretizar, transformar em metas; sonhos inferiores a fama e fortuna; sonhos pequenos como realização pessoal e felicidade de fim de tarde, à noite, acompanhado, não dormir e acordar ao lado de quem me fez companhia nessa insônia. Deixo minha cama e enfrento esse mundo cheio de calamidades, rodeado por pessoas tão desinteressantes, pois no fundo ainda tenho fé que em meio a tantos humanos, resida um pouco de humanidade. Humanidade de saber respeitar, de entender que estamos abaixo da ordem natural, que uns virão, outros irão, é o normal de se acontecer. Humanidade que os animais parecem conhecer melhor, aquela que faz famílias firmes, nada desses abandonos que se vê nessas caixas coloridas que se tem hoje em dia; seja por qualquer motivo que for. Vou trabalhar, exalar mal humor, soltar sorrisos de vez em quando, em busca de alguém que encontre algo pelo qual lutar por trás desse casmurro que venho me transformando. Visto minha roupa de ser humano dia após dia pois há alguém lá fora que é para meu bico, que é a minha garrafa. Os problemas não se resolverão, sempre cá estiveram, sempre cá estarão, mas a preocupação com o que se tem de errado se amenizará. Vou viver com uma e somente uma pessoa e quando essa garrafa esvaziar-se, não será hora de arranjar outra na esquina por dinheiro, será minha vez de também esvaziar e da cama não levantar novamente. Findarão-se as diversões vazias, as preocupações com uma sociedade que nem me diz respeito, as poesias bêbadas de fim de domingo. Só não findará a consciência de que algo está fora de lugar, não findará a poesia que luta, o engajamento. Alguém há de se tornar a garrafa e assim como eu, dar continuidade ao legado dos tolos. Legado dos que ainda acreditam que há muito a ser explorado, mas que não vivem no tempo em que esse potencial será alcançado.
Charles Bukowski

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Nunca chore diante das pessoas que não entendem o significado de suas lágrimas porque amar é uma arte, mas nem todo mundo é artista.
Renato Russo

quarta-feira, 29 de abril de 2015

"Lembra quando eu estava chorando, querendo desistir de tudo e simplesmente morrer? Foi por você que fiquei bem. Você me abraçou forte, e mesmo que eu tentasse sair, você não deixava. Eu disse que molharia sua blusa de frio toda, chorando que nem idiota, mas você não se importou, “depois seca”, você disse. E em momento algum, você deixou de acreditar em mim, “você consegue, eu sei”, e eu conseguia. Não por mim, mas por você. E quando eu tentei te falar que eu só consegui por você, você me abraçou forte de novo, como daquela vez e disse “você consegui por nós”. Nós, você acreditou em nós, onde de início não existia nem eu. E há quem fale “desista dele, ele está perdido”. Sim, está. Mas eu também estava quando você me abraçou. Então eu não vou soltar, não adianta pedir, porque eu não vou te soltar desse abraço até que você fique bem, fique forte, porque você é forte e consegue. E agora, eu também acredito em nós."
— A culpa é mesmo das estrelas?
"Ela sorri, revelando dentes brancos perfeitos. Eu paro de respirar. Ela realmente é linda. Ninguém devia ser tão bonita."
— 50 tons de cinza.
"Guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra."
— William Shakespeare.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Leve, desejo mais do que nunca, ser leve. E olha que contraditório, desejo me tornar uma pessoa nova: querendo voltar a ser quem eu era antes.

(Iolanda Valentim)

Mesmo antes de nascer, já tinha alguém torcendo por você. Tinha gente que torcia para você ser menino. Outros torciam para você ser menina. Torciam para você puxar a beleza da mãe, o bom humor do pai. Estavam torcendo para você nascer perfeito. Daí continuaram torcendo. Torceram pelo seu primeiro sorriso, pela primeira palavra, pelo primeiro passo. O seu primeiro dia de escola foi a maior torcida. E o primeiro gol, então? E de tanto torcerem por você, você aprendeu a torcer. Começou a torcer para ganhar muitos presentes e flagrar Papai Noel. Torcia o nariz para o quiabo e a escarola. Mas torcia por hambúrguer e refrigerante. Começou a torcer até para um time. Provavelmente, nesse dia, você descobriu que tem gente que torce diferente de você. Seus pais torciam para você comer de boca fechada, tomar banho, escovar os dentes, estudar inglês e piano. Eles só estavam torcendo para você ser uma pessoa bacana. Seus amigos torciam para você usar brinco, cabular aula, falar palavrão. Eles também estavam torcendo para você ser bacana. Nessas horas, você só torcia para não ter nascido. E por não saber pelo que você torcia, torcia torcido. Torceu para seus irmãos se ferrarem, torceu para o mundo explodir. E quando os hormônios começaram a torcer, torceu pelo primeiro beijo, pelo primeiro amasso. Depois começou a torcer pela sua liberdade. Torcia para viajar com a turma, ficar até tarde na rua. Sua mãe só torcia para você chegar vivo em casa. Passou a torcer o nariz para as roupas da sua irmã, para as idéias dos professores e para qualquer opinião dos seus pais. Todo mundo queria era torcer o seu pescoço. Foi quando até você começou a torcer pelo seu futuro. Torceu para ser médico, músico, advogado. Na dúvida, torceu para ser físico nuclear ou jogador de futebol. Seus pais torciam para passar logo essa fase. No dia do vestibular, uma grande torcida se formou. Pais, avós, vizinhos, namoradas e todos os santos torceram por você. Na faculdade, então, era torcida pra todo lado. Para a direita, esquerda, contra a corrupção, a fome na Albânia e o preço da coxinha na cantina. E, de torcida em torcida, um dia teve um torcicolo de tanto olhar para ela. Primeiro, torceu para ela não ter outro. Torceu para ela não te achar muito baixo, muito alto, muito gordo, muito magro. Descobriu que ela torcia igual a você. E de repente vocês estavam torcendo para não acordar desse sonho. Torceram para ganhar a geladeira, o microondas e a grana para a viagem de lua-de-mel. E daí pra frente você entendeu que a vida é uma grande torcida. Porque, mesmo antes do seu filho nascer, já tinha muita gente torcendo por ele. Mesmo com toda essa torcida, pode ser que você ainda não tenha conquistado algumas coisas. Mas muita gente ainda torce por você. Se procurar bem você acaba encontrando. Não a explicação duvidosa do mundo, mas a poesia inexplicável da vida. Eu torço por você.



(Carlos Drummond de Andrade)
Odeio quem diz que vai e depois retira a palavra. Quem sempre inventa um senão de última hora. Quem não banca seu desejo. Quem finge intensidade para soar romântico. Adiar não é esperança. Um sim pela metade é não. Respeito aquele que sofre de medo, jamais respeito aquele que aceita ser menor do que o medo. Respeito aquele que sofre de dúvida, jamais respeito aquele que coleciona incertezas. Na paixão, ou é ou não é. Não se negocia com a loucura.



(Fabrício Carpinejar)



Já que não vou esquecer mesmo, vou guardar, e ver se aprendo alguma coisa.

(Soulstripper)