sexta-feira, 1 de julho de 2016

Faz Parte sentir saudades de voce....

Em 2016 meu. Cê viu? Não sou só eu
É geral. Já é natural, o mundo se perdeu
Ninguém se apega, só se pega
Todo mundo louco
Ah que saudade que eu sinto de 90 e pouco

Bota o seu moletom rasgado
E vem correndo pra cá
Sei que o mundo tá complicado
Então vamos descomplicar
Vamo lá mostrar pra esse povo
Qual o jeito certo de amar
Minha mão grudada na sua e não grudada no celular

Sei que é tenso de acreditar
Sei que ninguém mais dá valor
Mas a gente é de um tempo
Onde ainda era certo se entregar por amor
Mais amor. Mais amor, por favor!
Ai que saudade de você debaixo do meu cobertor

Faz parte sentir saudade
Faz parte sentir saudade de você
Faz parte sentir saudade
Faz parte sentir saudade de você

Nem sempre ..

Eu tenho o costume de sofrer muito por esperar dos outros uma atitude que não vem. Pode ser da mãe, do pai, do amigo, do colega de trabalho, do namorado, do mosquito que faz barulho chato no ouvido no meio da noite. Eu espero porque eu faço. Me dou de bandeja, mas nem sempre consigo me perdoar. E preciso entender que as coisas não vão ser como eu quero.

Muitas vezes as reviravoltas servem para nos sacudir, para nos fazer acordar. Para mostrar que a gente merece mais, muito mais. Não vale a pena se desgastar com ignorância, fofoca e falsidade. Não faz bem para a saúde conviver com mesquinharia. Ambientes carregados não fazem bem para a alma de ninguém.

O amor não é uma desculpa. Você não pode justificar o ciúme com o amor. Sinto ciúme de você porque te amo demais. Eu já disse isso, mas hoje vejo diferente. Se eu amo demais, o problema é meu. Dizer que ama e quantificar o amor só serve para quem sente. Se eu tenho o maior amor do mundo, o mais puro e o que mais me faz feliz o problema é exclusivamente meu. Sabe por quê? Não importa o amor que eu sinto, não para o outro. Para o outro importa como eu demonstro, me comporto e vivo esse amor. O que adianta eu dizer que o meu amor é o mais puro de todos se eu não mostro isso? O amor não é uma palavra bonita. O maior problema do mundo, hoje, é esse. As pessoas acham que falar basta. Não, falar não basta. O amor não tem que ser dito, ele precisa ser sentido, senão ele não sobrevive.



Um dia, ela descobriu sozinha que era duas! A que sofre depressa, no ritmo intenso e atroz da noite e a que olha o sofrimento do alto do sono, do alto de tudo, balançada num céu de estrelas invisíveis, sem contato nenhum com o chão.

Caí em meu patético período de desligamento. Muitas vezes, diante de seres humanos bons e maus igualmente, meus sentidos simplesmente se desligam, se cansam, eu desisto. Sou educado. Balanço a cabeça. Finjo entender, porque não quero magoar ninguém. Este é o único ponto fraco que tem me levado à maioria das encrencas. Tentando ser bom com os outros, muitas vezes tenho a alma reduzida a uma espécie de pasta espiritual. Deixa pra lá. Meu cérebro se tranca. Eu escuto. Eu respondo. E eles são broncos demais para perceber que não estou mais ali.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016






Eu tô me convidando pra ser seu.

Jamz.



Você deve se orgulhar por ter tentado. Por ter arriscado. Não importa se você caiu, o que importa é que você não teve medo de andar por estradas desconhecidas.

Roma, 1994.



Nós somos uma bagunça, eu daqui, você de lá, mas a nossa bagunça fica tão linda quando está junta.

Nem a distância vai nos separar.


Algumas vezes chegamos ao ponto de acreditar que, nunca acharemos alguém que entenda verdadeiramente as nossas loucuras.

Matheus Fernandes.
© adorável psicose
Maira Gall